A psicopedagogia é uma área ampla e que vem crescendo cada vez mais nos últimos anos, mas existem pessoas que ainda não sabem exatamente o que faz um psicopedagogo. Pensando em esclarecer essas dúvidas, vamos compartilhar com você a entrevista sobre psicopedagogia concedida por Sandra Padula, neuropsicopedagoga, psicóloga e fundadora do Diálogos do Saber, ao Colégio Pentágono de Santo André.

A entrevista com Sandra Padula foi realizada nessa semana por Jane Cecília Perfi Gomes, Diretora do Diac (Diretoria de Assistência à Comunidade), que abordou questões importantes sobre a área. Confira as questões da entrevista na íntegra.

O que faz um psicopedagogo?

O psicopedagogo estuda os processos de aprendizagem de crianças, adolescentes e adultos.

Através do conhecimento da psicologia e da pedagogia, identifica as dificuldades e os transtornos que interferem na aprendizagem do aluno.

Realiza as intervenções para ajudar a pessoa solucionar o problema no processo ensino-aprendizagem.

Quando é necessária a ajuda de um psicopedagogo?

A ajuda de um psicopedagogo é necessária quando a criança demonstra dificuldade em aprender ou lidar com situações simples e corriqueiras do dia a dia, principalmente no espaço escolar.

Podemos citar alguns comportamentos como:

  • Falta de concentração
  • Dificuldade de seguir rotinas
  • Hiperatividade
  • Desmotivação e falta de interesse nos estudos
  • Dificuldade na leitura e escrita em desacordo com a idade

Podemos falar de TDAH?

Sim

O que é TDAH?

A sigla significa – Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH), que é um transtorno neurobiológico que atinge várias partes do cérebro, principalmente a região frontal, causando falta de atenção, desinteresse, inquietude, impulsividade. Essa área é responsável pelas emoções, pelo pensamento abstrato, atenção seletiva, vontade, determinação.

O transtorno geralmente se desenvolve na infância e tende a acompanhar a pessoa durante toda a sua vida.

Além disso, o Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade não tem cura, apenas tratamento.

Como é o trabalho do psicopedagogo em relação ao TDAH?

Por meio do do tratamento, buscamos auxiliar o aluno a lidar com o transtorno para que tenha uma melhor qualidade de vida e um melhor desempenho escolar.

O trabalho do psicopedagogo consiste em:

  • Auxiliar o aluno na organização de suas tarefas e do seu tempo
  • Tirar as dúvidas existentes quanto ao conteúdo não assimilado
  • Identificar o nível de escrita e o nível cognitivo para auxiliar o aluno a avançar na sua aprendizagem
  • Ajudar o aluno das tarefas escolares

Como a família pode ajudar em casa?

A família tem papel fundamental no tratamento.

Quando falamos no âmbito escolar a família precisa ver a escola como parceira no processo de aprendizagem do aluno.

A família deve acompanhar de perto a vida escolar da criança ou do adolescente, participando das reuniões de pais, de eventos proporcionados pela escola. Alem disso deve:

  • Observar o comportamento do seu filho com relação seu desempenho escolar
  • Orientar o aluno a tirar suas dúvidas com os professores
  • Procurar a coordenação pedagógica da escola para trocar percepções sobre a vida escolar do aluno
  • Motivar o aluno a terminar suas tarefas escolares, mesmo que não esteja correta
  • Organizar junto à criança o material escolar para o dia seguinte
  • Procurar ajuda profissional

É importante que a procura por ajuda profissional seja feita logo nas primeiras observações de que a vida escolar não está caminhando de forma adequada, uma vez que, muitas vezes os pais procuram por ajuda somente perto no final do ano letivo ou quando o aluno apresenta notas baixas porque não assimilou o conteúdo de uma determinada disciplina.

Quando o psicopedagogo é procurado tardiamente algumas situações não têm como ser solucionadas, o aluno perde o ano letivo. E para complicar mais o quadro a criança ou adolescente se sente incapaz de aprender, inseguro, infeliz e com sua autoestima abalada.

Por Sandra Padula – Mestre em Educação, Arte e História da Cultura, Psicóloga, Pedagoga, Neuropsicopedagoga e Fundadora do Espaço Diálogos do Saber

Gostou da entrevista? Deixe seu comentário!

 

 

 

Share This