Você que tem uma criança em casa, ou trabalha diretamente com uma já ouviu falar em psicologia infantil?

A área é de extrema importância para as crianças, e no artigo de hoje vamos tratar sobre para que serve, o que é, os benefícios e outras curiosidades da área que podem ser úteis para os papais, avós, babás, pedagogos e cuidadores de plantão.

Confira.

O que é a psicologia infantil?

 A psicologia infantil é a área da saúde mental das crianças, isso mesmo, a psicologia infantil estuda as fases do desenvolvimento físico e psicológico de uma criança, os possíveis conflitos que essas fases podem trazer, os comportamentos esperados para cada idade, e os inesperados também.

Além disso, conta com intervenções e métodos específicos para o atendimento, e diagnóstico de possíveis transtornos e comportamentos infantis.

Para quem é a psicologia infantil?

O estudo da psicologia infantil começa desde o nascimento da criança, até os 16 anos, que é quando o indivíduo passa a se enquadrar na psicologia do adolescente.

Já os atendimentos dos psicólogos infantis são destinados a crianças de 1 ano e meio de idade, até crianças de 16 anos.

Em nosso último post Psicologia Intantil- Aspectos da psicologia para crianças aprofundamos também o assunto, se ainda não leu, confira nesse link

 Como funciona a psicologia infantil?

Nos estudos a psicologia infantil investiga os comportamentos da criança, sua saúde mental, os conflitos que cada fase gera, os relacionamentos entre os pais e as crianças, o ambiente que a criança vive, os fatores genéticos da criança e muitos outros fatores.

Na prática o psicólogo infantil faz as primeiras sessões com os pais. Afim de investigar questões desde a gravidez da criança, até os tempos atuais.

Nessa conversa o psicólogo investiga os aspectos físicos da criança, a rotina, os comportamentos, a genética, as relações com outras crianças, a escola, o comportamento com os pais, os hábitos alimentares, as brincadeiras, e o principal, investiga o porquê o pai trouxe o filho até a terapia, entre outras coisas.

Só com isso já deu para perceber que os pais têm uma participação muito grande em todo o processo, né? Afinal, ele que vai responder todas essas questões para o terapeuta.

Depois de conhecer melhor os pais, e esses aspectos levantados é hora de iniciar a sessão com as crianças.

O terapeuta vai utilizar recursos como desenhos, jogos, brincadeiras e até diálogo com a criança afim de entender seu comportamento, e intervir nas questões necessárias.

É importante ressaltar que um psicólogo bem treinado vai saber qual fase a criança se encontra, e quais recursos mais adequados usar com a criança em sessão.

A sessão é feita semanalmente durante 45 minutos.

psicologia-infantil-dialogos-do-saber

Afinal, as crianças precisam da psicologia infantil?

É natural que perguntas como essas passem na cabeça de um adulto, temos a ideia que a infância é uma fase tranquila, sem problemas, onde só brincar é o que basta. Mas a verdade é que as crianças nem sempre se adaptam as mudanças físicas, emocionais e ambientais com que passam, e assim como adultos podem sofrer com isso.

Casos de separações e perdas podem afetar bastante a criança. Por vezes os adultos acham que crianças menores não entendem algumas situações, mas estão enganados, podemos sempre falar sobre perdas com crianças, mas claro, do modo certo para cada idade.

Para que serve a psicologia infantil?

 A psicologia infantil serve bastante para as crianças, confira uns exemplos:

  • Falta de adaptação (nova escola, nova casa, nova cidade, novo irmão, etc);
  • Problemas no rendimento escolar;
  • Agressividade;
  • Crianças desafiantes a figuras de autoridade;
  • Enurese (dificuldade no controle urinário);
  • Encoprese (dificuldade em segurar as fezes);
  • Lutos;
  • Perdas;
  • Separacões;
  • Ansiedade;
  • Transtornos do aspectro autista, psicótico, depressivo, de personalidade;
  • Tristeza demasiada;
  • Isolamento;
  • Problemas de comportamento alimentar;
  • Problemas de auto – estima;
  • Bullying;
  • Problemas com sono;
  • Dislexia;
  • Medos e fobias;
  • Mentiras e furtos na infância;
  • Hiperatividade;
  • Dificuldade na fala (quando são descartados problemas orgânicos);
  • Comportamentos inesperados para a idade (infantis ou adultos demais).

É normal a criança precisar da psicologia infantil?

 É muito comum que as crianças passem por um psicólogo alguma vez na vida, em pelo menos alguma fase. Isso não significa que a criança não esteja dentro dos padrões de normalidade, e que possa crescer com conflitos. Levar a criança desde cedo quando é necessário evita o aparecimento de novos sintomas, e gera uma menor probabilidade do problema se agravar.

Benefícios da psicologia infantil: 

  • Reforça as defesas;
  • Restabelece o equilíbrio emocional;
  • Promove a facilidade de aprendizagem;
  • Melhora o senso crítico;
  • Aumenta o crescimento emocional;
  • Melhora a auto – estima e auto – imagem;
  • Melhora a adaptação ao meio.

psicologia-infantil-criancas

Por isso é importante que todas as pessoas que tenham ligações diretas com a criança fiquem de olho quando algum comportamento diferente persistir. O adulto é o principal meio de ligação entre a psicologia infantil e a criança.

Por Sandra Padula – Mestre em Educação, Arte e História da Cultura, Psicóloga, Pedagoga, Neuropsicopedagoga e Fundadora do Espaço Diálogos do Saber

E se você gostou do tema de hoje não deixe de continuar no nosso site e conferir outros artigos.

Posts Relacionados

Psicologia Infantil: Aspectos da psicologia para crianças Psicologia para crianças: o que é e quais benefícios da psicologia infantil? Você já parou para pensar que a infância é uma fase marcada por muitas m...
Psicologia: Quando devo levar meu filho ao psicólogo? Saiba o momento certo de levar o seu filho ao psicólogo Uma dúvida muito comum dos pais é saber quando levar seu filho a um psicólogo, se é mesmo alg...
Share This