Sabemos o quanto é comum uma dificuldade ali ou outra aqui no processo de aprendizagem, mas a grande dificuldade dos pais é identificar o momento que essas dificuldades saem da linha do esperado, e passa para a linha de procurar ajuda profissional.
E mais, muitos pais se recusam a pedir ajuda profissional, por medo de rótulos e estigmas em seus filhos, ou por sua própria dificuldade em aceitar as dificuldades que ele enfrenta.

É essencial que os pais tenham um bom relacionamento com a escola da criança, para ouvir o alerta dos professores quanto às dificuldades.
Além disso, é importante que a casa seja um ambiente facilitador, onde pais e crianças tenham diálogos, brincadeiras e momentos de aprendizagem, assim qualquer sinal diferente os pais já ficam atentos.

No artigo de hoje iremos abordar os 7 principais bloqueadores de aprendizagem, e o que você pode fazer para identificar e tratar os problemas que seu filho pode estar enfrentando.

Os bloqueadores de aprendizagem impedem que a criança tenha um desempenho esperado e satisfatório na escola.

Alguns são mais fáceis de resolver, outros mais complexos, mas a verdade é que todos eles têm algo em comum: o papel da psicologia, neuropsicologia e psicopedagogia. Apresentaremos nesse artigo os 7 bloqueadores de aprendizagem mais comuns.

Os 7 bloqueadores mais comuns são:

Problemas de visão e/ou audição

Muitas crianças em idade escolar apresentarem problemas relacionados a visão e/ou audição. Esses problemas por vezes passam despercebidos por pais e professores, mas devem ser os primeiros a serem descartados quando a criança apresenta alguma dificuldade na aprendizagem.
O fonoaudiólogo e o oftalmologista são os profissionais indicados para avaliar se existe algum problema relacionado à visão e/ou audição. Ler mais

Sobrecarga

É comum as crianças participarem de diversas atividades e cursos ao longo da semana. A agenda lotada e o acúmulo de atividades, pode gerar estresse, cansaço e desatenção. E esses fatores podem impactar diretamente no rendimento escolar da criança.

Questões emocionais

Quando todos os fatores orgânicos são descartados, chega o momento de começamos a pensar que a criança pode estar com algum problema no lado emocional.
Sim, as crianças desde cedo podem ter dificuldades de lidar com suas emoções. E, assim como os adultos, pode influenciar no rendimento escolar. E pode se manifestar em sentimentos, tais como, desânimo, falta de motivação e tristeza. Situações no âmbito familiar ou escolar podem também influenciar nas questões emocionais da criança. Ler mais

Distúrbios de aprendizagem

É importante que os pais e profissionais identificarem a situação da criança e entendam se os problemas são apenas relacionados a dificuldades de aprendizagem ou se são distúrbios. Sendo que, os distúrbios são problemas mais sérios, que envolvem uma complexidade maior, no sentido que impedem que a criança adquira conhecimentos.

Dislexia

A dislexia é caracterizada por dificuldade na leitura e na escrita, podendo também gerar dificuldades de memorização.
As crianças com dislexia podem apresentar dificuldades na alfabetização, além de ficarem desmotivadas e extremamente resistentes quando o assunto é a escola. Um diagnóstico e uma intervenção correta é imprescindível nesse caso.

Superdotação

As crianças superdotadas são aquelas que apresentam um desempenho acima da média em uma área de aprendizagem, ou em todas. E embora pareça contraditório, essas crianças podem sim ter problemas de aprendizagem. Isso acontece porque podem achar tudo fácil demais e pouco estimulante na escola. Assim, não têm motivação para ir as aulas e não consegue prestar atenção. O relacionamento com colegas de classe e professores também podem ser conturbados, o que pode ajudar para a dificuldade de aprendizagem nesse caso.

TDAH

Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH): O TDAH ao contrário do que muitos pensam não é uma doença. Trata-se de um transtorno que pode gerar dificuldades de aprendizagem. As características são a desatenção, hiperatividade e impulsividade. De todos os bloqueados esse é o que mais precisa de uma equipe multidisciplinar trabalhando com pais, escola e criança. Ler mais

O que devo fazer para ajudar meu filho?

Muitos pais se sentem impotentes quando se deparam com um dos bloqueadores citados acima. O primeiro passo é levar seu filho para um profissional que saiba identificar e avaliar o que está acontecendo. Esse profissional irá explicar com detalhes toda a situação, além de montar estratégias para o seu filho em nível escolar e emocional. Os profissionais também auxiliam os pais em como devem agir. Quanto antes as intervenções forem montadas e executadas pelo profissional, mais rápido seu filho terá chances de ter uma vida escolar harmoniosa.

Qual profissional procurar?

É ideal que os pais busquem ajuda dos profissionais da psicologia, como por exemplo, o psicólogo que vai criar um espaço de escuta para a criança. Além disso, o psicólogo ajuda a lidar com os sentimentos e sintomas, que podem estar presentes e atrapalhando o processo de aprendizagem, por consequência de algum bloqueador.

Psicólogo

O psicólogo estuda sobre todas as fases do desenvolvimento infantil e vai realizar sessões com os pais também, a fim de conhecer melhor a criança e os orientar.

Psicopedagogo

O psicopedagogo é outro profissional de grande ajuda para identificar bloqueadores de aprendizagem, montar estratégias de aprendizado individualizadas para as particularidades da criança. Orientar os pais quanto a essas estratégias e até orientar os educadores da criança.

Neuropsicopedagogo

Já o neuropsicopedagogo é capaz de realizar vários testes para descartar ou confirmar hipóteses ou diagnósticos infantis ligados ao processo de aprendizagem.

Para os pais que não têm tempo e nem recursos financeiros para arcar com as despesas desses três profissionais, o ideal é procurar por um só profissional que contemple todas essas competências.

Além de proporcionar mais facilidade e agilidade no atendimento, esse profissional também pode diminuir custos, tanto de deslocamento quanto de custos de horas de atendimento.

Outra vantagem de ter um único profissional é ele terá uma visão completa sobre as dificuldades da criança e poderá trata-la de maneira mais abrangente.

Se você gostou desse artigo não deixe de continuar no blog e ler detalhadamente sobre cada bloqueador de aprendizagem:

Por Sandra Padula – Mestre em Educação, Arte e História da Cultura, Psicóloga, Pedagoga, Neuropsicopedagoga e Fundadora do Espaço Diálogos do Saber

 

Share This